Para onde foi a inspiração?

Coloquei o relógio para despertar às 7h, mas antes das seis eu já embolava pela cama, ainda que tenha ido dormir tarde. Fiquei impressionada em como já estava claro mesmo sendo tão cedo. O sol invadia meu quarto pela janela da frente, daquele jeito perfeito que me faz me sentir abençoada, quando decidi tomar um banho de mar.

Eu nunca havia feito isso antes, sair de casa cedo, sozinha, para ir na praia ali em frente, tomar um banho e voltar para casa. Mas sempre tive essa vontade, é uma daquelas metas de “coisas a aprender a se fazer sozinha” que eu tenho.

A preguiça não foi desculpa. Sem hesitar eu vesti um biquíni, passei protetor solar e saí pela porta, estava tão empolgada e com tanta vontade de fazer aquilo que nem considerei a hora, o momento, a situação, nada. Eram seis da manhã de um domingo e não tinha ninguém na rua, exceto uma senhora passeando com seu cachorrinho. Considerei voltar, já ouvi tanta gente dizendo que foi assaltada a essa hora na rua que eu fiquei com medo e um pouquinho nervosa.

Mas quando atravessei duas ruas e cheguei à praia vi que sim, ignorar o desconforto e vencer limitações para viver um momento único vale muito a pena. A maré estava baixa, mas isso não foi problema. O sol quente não estava muito alto e eu entrei na água fria sem nenhum esforço.

Foram poderosos aqueles minutos em que estive no mar tranquilo. Senti que, naquele momento, eu estava me reconectando comigo mesma, fazendo algo simplesmente porque tinha acordado com vontade. Eu estava com vontade de viver, de me superar, de sentir o meu sol preferido do dia na pele e fazer isso sozinha, por mim mesma.

Talvez seja isso que esteja me faltando, momentos em que fecho os olhos e me vejo a sós comigo, em que medito sobre minhas atitudes e minha rotina. Me faz falta ver o sol da manhã e sentir ele me preencher, ficar em silencio e apenas sentir o quão é bom estar viva. Talvez eu tenha deixado isso de lado, por isso a inspiração anda tão distante. Arranjar tempo. É isso o que eu preciso. Tempo para aprender, para escrever, para saber do que gosto, do que eu sinto falta e para fazer o que eu amo. Tempo para mudar e ser quem eu sou, acima de tudo. Tempo para me redescobrir e me reconectar.

Tempo para ser grata. Quando estava no mar, a correnteza me puxando, o sol no rosto, sentindo a água fria, eu fui grata. Por aquele momento, por ter acordado antes das seis, por ter saído da zona de conforto e estar me esforçando todos os dias para ser uma pessoa melhor e por estar me descobrindo de novo. Talvez a gente só precise de um tempo e de querer preenche-lo com toda a intensidade de quem nós somos.

2 comentários em “Para onde foi a inspiração?

  1. ´Que texto lindo, Crystal!! Gostoso de ler! Aliás, li como se estivesse ouvindo você me contar! Também estou precisando de momentos assim… precisamos nos reconectar conosco e com o mundo… lembrar que somos donos de nós mesmos, das nossas atitudes…o universo sempre conspira a favor quando temos consciência disso!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.