Arrumando a mala para um fim de semana

Eu nunca fui muito boa em arrumar mala, sempre carreguei roupas demais, não pensava nos possíveis looks que iria usar no destino e me perdia na hora de fazer combinações. Felizmente, com o tempo eu fui aperfeiçoando minhas escolhas na hora de me organizar e, acredite ou não, o fato de eu ter aprimorado meu estilo e ter me ligado mais ao minimalismo foram atitudes essenciais que tornaram a hora de escolher roupas para viajar muito mais fácil, rápido e prático.

Hoje em dia eu não perco muito tempo na hora de arrumar uma mala para poucos dias. Esse fim de semana eu viajei com uma amiga para a casa dela em Gravatá, no interior de Pernambuco, e vou compartilhar algumas das minhas sacadas na hora da organização que espero possam ser tão úteis para vocês quanto foram para mim. Afinal, para que se complicar e ficar se estressando com uma mala para dois dias e meio?

A primeira coisa em que sempre penso na hora de escolher as roupas que vou levar são os passeios (ou possíveis passeios) que vou fazer. No meu caso, fui no sábado e voltei no domingo e sabia que ia rolar uma mini viajem até Bonito, uma cidade próxima, para tomar banho de cachoeira; talvez a piscina do condomínio, saídas para almoçar e bater perna na cidade e passeios para fazer a noite. Sabendo disso, o maiô era a minha maior prioridade, seguido de roupas confortáveis para andar a pé e algo mais arrumado para a noite.

Outra coisa essencial é olhar o clima da cidade. Eu sempre entro no Climatempo e vejo a temperatura do destino nos dias em que estarei lá. Em Gravatá ia estar bem quente pela manhã (uns 30 graus) e a noite daria uma esfriada (mínima de 20 graus). Então o que fiz foi levar roupas mais fresquinhas e um cardigã para a noite, que é só jogar por cima de qualquer combinação.

Em terceiro lugar, a dica mais importante é levar apenas roupas com cores que combinem entre si. Eu aprendi isso bem na marra, sempre levava partes de baixo que não tinham nada a ver com as de cima e ficava me sentindo bem chateada porque as combinações nunca saíam legais. Eu aprendi que uma viajem não é exatamente o momento de ousar com uma peça diferentona. É preciso agilidade e praticidade. O ideal é levar roupas dentro de uma paleta de cores que combinem entre si.

Com o minimalismo, eliminando peças e comprando mais coisas que tinham a ver comigo, eu percebi que preto, branco e vermelho são as cores que eu mais uso e elas combinam entre si. Acredite em mim, não tem erro usar essa técnica. Claro que você pode ousar com uma peça única de uma cor não tão fácil de combinar, mas ficar dentro da “zona de conforto” ajuda você a não ficar frustrado com um monte de peças que descombinam. Nas viagens de 2017 eu só levei essa paleta de cores e não me arrependi em nenhum momento.

Processed with VSCO with preset

Com essas observações, eis a lista com as roupas que eu levei:

  • Shorts jeans cintura alta
  • Saia midi estampada preta e branca
  • Regata branca básica
  • Blusa vermelha canelada
  • T-shirt preta estampada
  • Blusa de manga longa básica
  • Vestido preto estampado
  • Cardigã listrado preto e branco
  • Maiô preto
  • Vestido preto para usar por cima do maiô
  • Cinto preto
  • Pijama
  • Rasteirinha preta simples
  • Havaianas

Para fazer essa lista eu levei em consideração a roupa que eu ia, que provavelmente serviria para passar a tarde na cidade, duas combinações para sair a noite, uma roupa para bater perna no domingo e outra combinação para voltar na segunda de manhã. Além da roupa de banho e do pijama.

Não levei muita coisa, mas quis me assegurar que essa quantidade de peças serviria para várias combinações diferentes e possíveis. Por exemplo, eu quis ter certeza que eu iria me sentir confortável de usar tranquilo todas as partes de cima com qualquer parte de baixo; o maiô eu poderia usar como um body se eu quisesse, pois ele funciona bem com o shorts e com a saia midi; a blusa de manga não é tão quente, então eu poderia usar ela a noite (como foi a ideia inicial) ou pela manhã (que foi como eu realmente a usei).

Como resultado, não foi uma mala perfeita. Se eu pudesse mudar algo, não teria levado tantas blusas, com uma a menos eu teria passado os dias bem tranquila; mas principalmente, teria substituído a saia midi por uma legging preta, pois eu não contava que eu fosse sentir tanto frio e a legging traria algumas possibilidades legais para usar a noite. Mas apesar disso, acredito que fiz boas combinações e, acima de tudo, não me compliquei na hora de me vestir, pois gosto bastante de todas essas peças e das combinações que posso fazer com ela. Numa viagem, a última coisa que precisamos nos preocupar é com a roupa que usamos.

2018-01-16 08.56.15 1.jpg

Eu espero que vocês tenham gostado do post e que essas observações sejam úteis nas futuras mini viagens que vocês fizerem. Qualquer outra dica legal pode deixar aqui embaixo nos comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.