Se cultivar com amor

 

via Pinterest

“Ela se cultiva da mesma forma que cultiva rabanetes na varanda: com amor”

Essa foi uma frase que nunca saiu da minha cabeça desde que eu a li em Como ser uma parisiense, livro que já resenhei aqui no blog. Vira e mexe eu penso nela e na importância que ela representa. Você já pensou sobre isso? Em se cultivar com amor?

Não são poucas as vezes em que a gente prioriza Deus e o mundo e acaba se deixando de lado. Tem tantas coisas que parecem precisar mais da nossa atenção. Nos envolvemos com trabalho, família, relacionamentos, stories do Instagram, pendências no banco e tantas outras coisas que no final, nem nos lembramos de nos colocar na nossa lista de afazeres. E nem consigo dizer o quão isso é importante.

Se a gente não tá legal fisica e mentalmente, como podemos viver bem? Como que se consegue olhar com amor para o mundo e enxergar beleza? Como não se deixar levar por essa pressão constante de estar sempre entre os melhores, de ser produtivo 100% do tempo e achar que o amanhã é sempre melhor que o hoje? Hoje ainda dá tempo de ser um bom dia, de ter um momento em que a gente fica bem com a gente mesmo.

Quando falamos sobre cuidar de nós mesmos é bem mais fácil lembrar de primeira em cuidados estéticos e eu acredito sim que mostrar pro mundo a melhor versão de nós mesmos é tão importante quanto estar com a cabeça no lugar. Quando a gente olha no espelho e se vê genuíno, honesto com o que a gente quer passar é como se tudo se encaixasse. E o legal é que o ato de se cuidar por fora (e por dentro também) quem determina é você, não precisa ser imposto por ninguém e só você pode ditar as regras.

As maneiras são diferentes, mas o princípio do auto-cuidado é sempre o mesmo: olhar para dentro de si e se perguntar o que você tá sentindo, o que tá faltando. Tem dias em que eu tenho uma sensação chata de que as coisas estão fora do lugar, que eu não estou bem o suficiente, que tem alguma coisa faltando. Essa ansiedade vem, muito provavelmente, por conta da minha cobrança (quase) constante de que eu deveria ser perfeita o tempo todo, de ter que “ticar” todas as minhas tarefas do dia, estar sempre disposta e de bem comigo.

Nem sempre isso é possível. A gente não é produtivo ou está de bom humor ou querendo conquistar o mundo o tempo todo. Por isso é tão importante olhar para dentro da gente e ser gentil, entender nosso estado de espírito e que está tudo bem.

Praticar esse exercício de gentileza e de aceitar o seu momento talvez seja uma das coisas mais importantes dentro do nosso auto-cuidado. Já tem tanta gente lá fora dizendo como temos que ser e agir que permitir que nós também façamos isso com nós mesmos não deveria ser algo comum. Podemos viver sem essa cobrança toda.

Acredito que o poder de se cultivar com amor está nas pequenas coisas que fazemos por nós no dia a dia, que entram tão fluidas na nossa rotina que a gente nem sente, mas quando para pra pensar, vê o bem danado que faz.

Pra mim, cuidar do meu corpo, por dentro e por fora, é o maior sinônimo de auto-cuidado possível. Dormir bem, tomar muita água, hidratar minha pele, tomar um suco verde, fazer máscara de argila, sair pra caminhar na praia escutando música, ler um livro antes de dormir, arrumar meu quarto, assistir vídeos no YT que me ensinem coisas novas, conversar sobre coisas que estão me deixando insegura. Essas são algumas coisas que me fazem ter a sensação de estar contribuindo de alguma forma para meu bem estar.

E o melhor é que cada um tem um jeito de se auto-cuidar. Não existem regras e nem certo ou errado, apenas o que te faz bem e que te ajuda a se sentir melhor com você mesmo. Aproveitando a oportunidade, listei aqui algumas coisas que podem te ajudar nesse processo:

  • Fazer uma limpa no Instagram (deixar de seguir perfis que só te deixam pra baixo e bloquear os stories que não interessam);
  • Repensar aquele relacionamento que mais te deixa pior do que melhor;
  • Fazer algo que sempre quis, mas que nunca fez pelo simples motivo de achar que não vai conseguir;
  • Procurar terapia;
  • Otimizar o tempo que você passa no transporte público ouvindo um podcast de um assunto que te interessa;
  • Investir num hobby;
  • Parar um pouco, respirar conscientemente e olhar para o céu;
  • Praticar mindfulness (consciência plena);
  • Voltar a estudar.

As opções são infinitas e o ato em si é lindo. É difícil entender, mas ninguém pode fazer isso por nós e nem o mundo vai parar para que a gente passe alguns momentos na semana investindo no nosso bem estar. Temos que nos colocar como prioridade algumas vezes e entender que não é egoísmo pensar na gente, mas um ato de amor que ninguém pode nos tirar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.