Minha pele mudou

4fc1417b127b2793f29eadb2a8265851

Em julho de 2017 eu decidi que faria diferente com a minha pele, sobretudo a do rosto. Eu estava decidida a, de uma vez por todas, seguir à risca uma rotina de cuidados para mantê-la sempre bonita, ou pelo menos tentar. E de lá para cá as coisas realmente aconteceram e eu achei que seria legal compartilhar aqui um pouco da minha experiência.

Desde 2014 eu tenho sido uma fiel consumidora de hidratantes para o corpo. Isso aconteceu depois do fim de um antigo relacionamento em que eu achei que era mais do que hora de finalmente começar a cuidar de mim. Mas foi quando eu comprei o livro Como Ser uma Parisiense em 2015 que eu parei para refletir, a partir do que eu li, o quanto nossa pele é importante, o quanto nela está refletida todas as nossas noites mal dormidas, todas as coisas erradas que a gente come, a quantidade de álcool que a gente ingere, etc. Graças a essa leitura eu aprendi uma das maiores lições da minha vida: que a gente deve se cuidar com amor, cada um do jeito que acha que deve. E uma das formas que eu achava (e gostava) de me cuidar era dando atenção a minha pele.

Mas se até então eu ainda era relapsa nesse quesito, em julho do ano passado eu decidi que não seria mais. E assim foi. Eu juro.

Assim, comecei em julho a tirar minha (pouca) maquiagem religiosamente todas as noites e usar duas vezes ao dia os produtos que eu comprava para o rosto. Beber mais água e comer menos besteira também são fundamentais para que tudo fique bem, mas só de usar os produtos sem interrupção, ou quase isso, eu notei uma mudança colossal (e é essa a palavra mesmo).

Minha pele do rosto sempre foi muito oleosa. Eu lembro perfeitamente de ter usado diversos tipos de produtos manipulados e protetores solares caros e nada dar jeito de controlar a oleosidade. Quando eu chegava em casa no fim do dia estava sempre com o rosto brilhando mais que tudo. Mas quando eu passei a ter regularidade no uso dos produtos que eu tenho em casa a mudança veio e foi melhor do que qualquer coisa que eu tinha feito até então.

Acho que consultar um dermatologista é sempre a melhor coisa a se fazer se você tem um problema grave de pele, mas como o meu caso não era esse, dei uma parada nas consultas com a minha médica (longa história) e passei a tentar entender o que a minha pele precisava e daí ver o que eu podia fazer. E deu muito certo. Em poucos meses a minha pele ficou naturalmente menos oleosa, de um jeito que eu nunca vi, apenas cuidando das necessidades dela e tendo regularidade nesses cuidados.

E ela nunca mais foi a mesma. Hoje eu volto para casa depois de um dia inteiro fora apenas com um leve brilho na testa. Isso é tão novo para mim. Ela está bem mais macia e uniforme do que antes e o viço que ela ganhou é notável.

Quero deixar claro que o que realmente fez diferença não foi o quanto eu paguei num produto, porque só costumo usar coisas baratinhas na minha pele, mas sim a regularidade com que o usei. Eu vi os resultados aparecendo bem na minha frente e foi muito surreal.

Ainda tenho espinhas, elas ainda aparecem com frequência, mas apenas uma vez ou outra e principalmente na TPM, o que é totalmente normal. E claro que a minha pele tem seus bad moments, mas seguindo essa rotina e entendo os reflexos do que acontecia externa e internamente eu passei a compreender as mudanças que ocorriam nela e como as minhas atitudes interferiam no resultado final. Hoje eu sei que TPM é sinônimo de espinha; falta de água deixa ela seca; muito chocolate gera mais espinha; muito sódio deixa ela menos macia e com mais imperfeições, e assim por diante.

É tão importante entender nosso corpo, ouvir o que ele diz e cuidar dele da melhor forma possível. E a pele também faz parte dele, é o nosso maior órgão e cuidar dele não é uma futilidade. E essa é a melhor lição que eu tiro disso tudo. A gente realmente deve se cuidar com amor.

Para quem ficou curioso sobre o que deu certo na minha pele, no próximo post eu falo sobre cada um dos produtinhos. Até lá!