Resenha Antioxidante Hidratante Sallve

A comunidade de amantes do skincare ficou abalada no final do primeiro semestre pelo lançamento da tão esperada Sallve, uma marca moderníssima de cuidados com a pele co-criada pela rainha da internet, Julia Petit. A empresa, que não esconde ser nativa digital, tem as redes sociais como principal ferramenta de pesquisa pra entender os desejos do seu público-alvo e, a partir disso, formular produtos que sejam exatamente aquilo que ele procura. Daí vem todo o acerto da Sallve ao apostar no lançamento de um carro-chefe, o tão comentado Antioxidante Hidratante que se gaba de ter mil e um benefícios, atraindo todos os holofotes e olhares internet a fora.

Inclusive o daquela que vos escreve. Já faz uns bons três anos que eu venho gostando de incluir um produto a mais na minha rotina de skincare entre os passos de lavar e aplicar hidratante. Primeiro eu comecei pela Vitamina C da Payot (comprei duas vezes), bem baratinha, mas que melhorou horrores a minha pele, e depois fui pro Minéral 89 da Vichy, outra vibe de produto, menos oleosinho, mas que também amei usar. Foi quando esse último acabou que eu fiquei sabendo que a Sallve tava pra lançar o tal do Antioxidante Hidratante, depois de meses e meses de mistério.

Não vou mentir, fiquei com o pé atrás, afinal é uma marca nova, nada se tinha falado sobre o produto ainda e eu não sou muito daquelas que dá tiro no escuro só pra seguir a modinha. O fato de ser um cosmético (e não um dermocosmético, que tem muito mais estudo e tecnologia por trás) também me incomodava um pouco, mas como eu usei por muito tempo a Vitamina C da Payot e adorava, não era exatamente uma desculpa pra mim.

Foi aí que eu vi uma entrevista da Julia para o canal da Jana Bonita de Pele em que ela dizia mais ou menos o seguinte: “Se não fosse pra lançar no mercado alguma coisa inédita e que realmente funcionasse, eu nem lançaria”. E foi nesse momento que eu me convenci a dar uma chance ao dito cujo.

Eis que fui lá, comprei o produto logo no dia do lançamento e, nesse post, vou contar como foi a minha experiência usando ele diariamente por um mês. Já deixo avisado que o post deve ficar um pouco longo, mas, já que a minha intenção aqui é falar absolutamente tudo o que eu achei do produto, não tem como não me aprofundar pra dizer se ele vale a pena ou não comparado a alguns similares que já usei e que fazem o mesmo trabalho.

P.S.1: As minhas impressões são totalmente baseadas na minha experiência, não sou dermatologista nem expert no assunto. Se você tem questões de pele que precisam de mais atenção, é sempre bom consultar um profissional antes de usar qualquer coisa.

P.S.2: Sempre bom lembrar que tenho pele oleosa, característica que se acentua no calor. Atualmente tenho acne hormonal por conta de ovários policísticos, mas devido ao tratamento fico com a pele ressecada bem facilmente.

Dito tudo isso, vamos à resenha!

Sobre o produto e o que ele promete

De acordo com o site da Sallve, o Antioxidante Hidratante é um produto hipoalergênico, testado dermatologicamente e oftalmologicamente, não testado em animais e livre de ingredientes proibidões. A marca sugere que ele seja usado em todo o rosto, pescoço, colo e área dos olhos e, segundo ela, três ou quatro gotinhas de produto são suficientes pra preencher toda essa área.

Ele tem 35g, um tamanho que eu achei muito legal, e custa R$ 89,90, o faz com que ele tenha um ótimo custo-benefício. Logo na pré-venda, eu vi muitas pessoas no Insta da Sallve perguntando quanto tempo de uso rende uma bisnaguinha dessas e eles falaram que durava mais ou menos um mês. Achei a resposta meio ilógica levando em consideração a quantidade de produto que eles recomendam que seja aplicado e a quantidade que vem na embalagem. Já usei muitos produtos com embalagem de 30g e, aplicando até mais do que eles recomendam, eles duram fácil 3 meses se você usa uma vez por dia. Eu venho usando só pela manhã e não chegou nem a ficar pela metade ainda.

Sobre os ingredientes do Antioxidante Hidratante, a Sallve diz:

Um produto que é muitos. Antioxida enquanto hidrata. É sérum e gel. Cuida da área dos olhos e do rosto todo. Sua fórmula única combina o Ácido Hialurônico a 5 antioxidantes preciosos: Nano Vitamina C a 10%Vitamina E, Resveratrol, Cafeína e Niacinamida. E, graças à nanotecnologia, os principais ingredientes estão revestidos e prontos pra entregar seu melhor, agindo no lugar certinho da pele da forma mais segura. Ele hidrata controlando a oleosidade, minimiza poros dilatados, previne linhas finas e sinais do tempo, uniformiza o tom e recarrega as baterias da pele, devolvendo a luminosidade natural e suavizando o inchaço matinal e as olheiras de cansaço. Pode usar todos os dias, pela manhã e à noite.

Como você pode ver, o Antioxidante Hidratante não nega prometer deus-e-o-mundo né? Achei a composição muito boa, levando em consideração o pouco que eu entendo. A Nano Vitamina C a 10% chama a atenção pela porcentagem e também por ser encapsulada, uma forma de armazenamento que faz com que ela penetre mais fundo as camadas da pele e impede que ela oxide mais rapidamente. O Ácido Hialurônico é um componente que tá muito em alta ultimamente e, pelo tempo em que eu usei o Minéral 89 (que é composto principalmente por esse ácido) notei bastante diferença na minha pele.

A Vitamina E e Cafeína terminam sendo ótimos bônus, também o Resveratrol e a Niacinamida, que sempre estão presentes nos cremes manipulados que a minha dermato receita. E se a minha dermato receita esses componentes, eu confio de olhos fechados.

Sobre a embalagem

Antes de tudo eu preciso de algumas linhas para declarar meu amor absoluto por essa embalagem. Amei o formato em bisnaguinha, super tranquila de transportar e ainda mais legal pra aplicar o produto. É um modelo extremamente prático de usar, sem falar que é uma gracinha.

Estética do produto à parte, achei muito legal que a embalagem do Antioxidante Hidratante tem os selos I’m Green (que quer dizer que a embalagem foi feita com Polietileno Verde) e Eu Reciclo, que é um programa de logística reversa em que a empresa se compromete a reciclar uma porcentagem das embalagens que produz.

É interessante notar que, alguns anos atrás, a maioria das pessoas nem iria questionar o posicionamento da empresa sobre causas ambientais, reciclagem de embalagens e logística reversa. A Sallve, como boa nativa digital, sabe que seu público não é mais alheio a esse tipo de discussão e fez questão de ter a resposta pronta na ponta da língua toda vez que surgisse um comentário do tipo “poxa, embalagem de plástico?”. São detalhes que contam (e muito) pra construção da identidade da marca e pra consolidação dela no mercado futuramente.

Sobre textura, aplicação e fragrância

A Julia contou que a textura de sérum foi uma das mais citadas quando a marca procurou saber qual era a preferência do público. Foram muitos testes até que eles chegassem nessa textura sérum-gel que, pra mim, fica no meio do caminho entre um sérum tradicional (como o Minéral 89, pra citar um que eu conheço bem) e um hidratante levinho, pra pele oleosa.

Pessoalmente, essa não é uma textura que eu goste tanto, eu sou bem mais fã de produtos densos e que demorem a ser absorvidos pela pele. O Antioxidante Hidratante é justamente o contrário. Nos dias em que a minha pele tava mais ressecada, ele foi absorvido quase que imediatamente e era até complicado espalhar por todo o rosto, mesmo que eu tivesse usado as “três ou quatro gotinhas” recomendadas pela marca.

Minha forma preferida de aplica-lo foi lavar e secar o rosto com uma toalha e, imediatamente depois, aplicar uma gotinha dele em cada ponto do rosto (bochechas, queixo, nariz e testa) e espalhar bem. Quando o rosto ainda está meio úmido ele desliza mil vezes melhor e dá uma sensação muito gostosa na pele, até um pouco geladinha dependendo do local onde você deixa guardado.

Gostei também que ele é um produto que não tem uma fragrância forte. Ele tem um cheiro que não consegui definir e que some da pele poucos segundos depois de aplicado.

Sobre os resultados

Logo depois que você aplica o Antioxidante Hidratante, fica uma sensação meio “colentinha” na pele por conta do Ácido Hialurônico, mas nada que incomode. A impressão que dá é que você não passou nada, mas (como eu tentei mostrar na foto acima) dá pra notar um leve viço de hidratação. Ao contrário do que a marca fala, não achei que ele minimiza os poros; notei que os poros (principalmente os que tenho perto do nariz, que são mais dilatados) ficam levemente menos visíveis, mas isso acontecia nos períodos em que minha alimentação estava boa, o que é uma coisa que muda a pele, inevitavelmente.

Já o controle da oleosidade é uma coisa que dá pra notar logo de primeira; por uns dois ou três dias em que eu não precisei sair, testei lavar o rosto e só aplicar ele em seguida, sem protetor solar, e o efeito foi bem legal, deu pra ver que ele deixa a pele bonita, viçosa, mas com a oleosidade controlada.

Quanto à prevenção de linhas finas e sinais do tempo, só o uso continuo por muitos anos que pode dizer. O fato é que prevenção é fundamental e substâncias como a Vitamina C, por exemplo, são muito boas nesse aspecto, sem falar que ajuda, e muito, na hidratação e uniformização da pele.

Para ser sincera, não notei melhora na aparência de manchinhas por enquanto (tenho várias por conta de acne hormonal), mas talvez mais um ou dois meses de uso possam ajudar.

Também não notei aparecimento de espinhas como algumas pessoas relataram, todas as que tive nesse período de uso apareceram em áreas com tendência à acne hormonal e tenho certeza que não foi por causa do produto.

O veredito

No fim das contas, eu gostei muito do Antioxidante Hidratante, o resultado na minha pele foi muito bom. Mesmo que eu acredite que os maiores resultados eu vou ver a longo prazo, acho que as primeiras impressões dele são bem positivas, dá pra sentir a pele mais macia e iluminada logo na primeira semana de uso, principalmente na área dos olhos. Ele é leve, gostosinho de passar e some na pele depois de um segundos.

Se você tem pele oleosa, não quer perder tempo com skincare, quer só usar algo que suma logo na pele pra depois vir com a maquiagem, o Antioxidante Hidratante é pra você. Se você também é tipo bem prático que não tem paciência de usar mil produtos na cara, mas que quer ter certeza de estar usando algo que tenha uma boa composição sem gastar rios de dinheiro, ele também pode ser um ótimo aliado.

Pessoalmente, não acho que ele seja um produto pra ser usado sozinho. Ele quebra um galho enorme nos dias em que eu não tenho paciência de usar nada no rosto, mas pra eu ter o resultado de hidratação que eu gosto, preciso aplicar um hidratante um pouco mais consistente depois. Isso porque, na minha rotina, ele não substitui um hidratante mais grossinho, mas sim funciona como um extra, não por não ser eficiente, mas porque eu gosto de usar um produto que deslize mais na pele, que dê essa sensação visual de pele brilhosa e hidratada.

Claro que isso é uma opinião 100% pessoal. Ele hidrata sim, mas, como todo sérum mais fininho não dá aquela impressão visual de pele hidratada, com glow absurdo. Produtos mais “oleosos” num geral dão essa impressão, sérum mais aquosos fazem o trabalho de dentro pra fora e logo somem da pele.

Sabendo disso, é legal você entender o que você quer pra sua rotina de skincare. Eu realmente acredito que o Antioxidante Hidratante pode substituir o hidratante de alguém que não gosta de passar muitos produtos, porém também acho ele é perfeito pra vir antes de um produto mais consistente que hidrate “visualmente” mais.

Mas independente disso, quero dizer que ele é uma opção muito válida. Não chega a ser um dermocosmético como o Minéral 89 da Vichy, mas também ganha de lavada em composição e tecnologia da Vitamina C da Payot, por exemplo. Eu super compraria de novo e garanto que, se comprar mesmo, eu volto aqui pra falar minhas impressões a longo prazo do produto.

Então é isso! Espero que a resenha tenha sido útil e ajude de alguma forma você que tá aí curioso imaginando se investe ou não investe no tão famoso sérum da Sallve. Me conta nos comentários se você já testou ou gostaria de testar esse produto. Até a próxima!

Minha pele mudou

4fc1417b127b2793f29eadb2a8265851

Em julho de 2017 eu decidi que faria diferente com a minha pele, sobretudo a do rosto. Eu estava decidida a, de uma vez por todas, seguir à risca uma rotina de cuidados para mantê-la sempre bonita, ou pelo menos tentar. E de lá para cá as coisas realmente aconteceram e eu achei que seria legal compartilhar aqui um pouco da minha experiência.

Desde 2014 eu tenho sido uma fiel consumidora de hidratantes para o corpo. Isso aconteceu depois do fim de um antigo relacionamento em que eu achei que era mais do que hora de finalmente começar a cuidar de mim. Mas foi quando eu comprei o livro Como Ser uma Parisiense em 2015 que eu parei para refletir, a partir do que eu li, o quanto nossa pele é importante, o quanto nela está refletida todas as nossas noites mal dormidas, todas as coisas erradas que a gente come, a quantidade de álcool que a gente ingere, etc. Graças a essa leitura eu aprendi uma das maiores lições da minha vida: que a gente deve se cuidar com amor, cada um do jeito que acha que deve. E uma das formas que eu achava (e gostava) de me cuidar era dando atenção a minha pele.

Mas se até então eu ainda era relapsa nesse quesito, em julho do ano passado eu decidi que não seria mais. E assim foi. Eu juro.

Assim, comecei em julho a tirar minha (pouca) maquiagem religiosamente todas as noites e usar duas vezes ao dia os produtos que eu comprava para o rosto. Beber mais água e comer menos besteira também são fundamentais para que tudo fique bem, mas só de usar os produtos sem interrupção, ou quase isso, eu notei uma mudança colossal (e é essa a palavra mesmo).

Minha pele do rosto sempre foi muito oleosa. Eu lembro perfeitamente de ter usado diversos tipos de produtos manipulados e protetores solares caros e nada dar jeito de controlar a oleosidade. Quando eu chegava em casa no fim do dia estava sempre com o rosto brilhando mais que tudo. Mas quando eu passei a ter regularidade no uso dos produtos que eu tenho em casa a mudança veio e foi melhor do que qualquer coisa que eu tinha feito até então.

Acho que consultar um dermatologista é sempre a melhor coisa a se fazer se você tem um problema grave de pele, mas como o meu caso não era esse, dei uma parada nas consultas com a minha médica (longa história) e passei a tentar entender o que a minha pele precisava e daí ver o que eu podia fazer. E deu muito certo. Em poucos meses a minha pele ficou naturalmente menos oleosa, de um jeito que eu nunca vi, apenas cuidando das necessidades dela e tendo regularidade nesses cuidados.

E ela nunca mais foi a mesma. Hoje eu volto para casa depois de um dia inteiro fora apenas com um leve brilho na testa. Isso é tão novo para mim. Ela está bem mais macia e uniforme do que antes e o viço que ela ganhou é notável.

Quero deixar claro que o que realmente fez diferença não foi o quanto eu paguei num produto, porque só costumo usar coisas baratinhas na minha pele, mas sim a regularidade com que o usei. Eu vi os resultados aparecendo bem na minha frente e foi muito surreal.

Ainda tenho espinhas, elas ainda aparecem com frequência, mas apenas uma vez ou outra e principalmente na TPM, o que é totalmente normal. E claro que a minha pele tem seus bad moments, mas seguindo essa rotina e entendo os reflexos do que acontecia externa e internamente eu passei a compreender as mudanças que ocorriam nela e como as minhas atitudes interferiam no resultado final. Hoje eu sei que TPM é sinônimo de espinha; falta de água deixa ela seca; muito chocolate gera mais espinha; muito sódio deixa ela menos macia e com mais imperfeições, e assim por diante.

É tão importante entender nosso corpo, ouvir o que ele diz e cuidar dele da melhor forma possível. E a pele também faz parte dele, é o nosso maior órgão e cuidar dele não é uma futilidade. E essa é a melhor lição que eu tiro disso tudo. A gente realmente deve se cuidar com amor.

Para quem ficou curioso sobre o que deu certo na minha pele, no próximo post eu falo sobre cada um dos produtinhos. Até lá!