Resenha Antioxidante Hidratante Sallve

A comunidade de amantes do skincare ficou abalada no final do primeiro semestre pelo lançamento da tão esperada Sallve, uma marca moderníssima de cuidados com a pele co-criada pela rainha da internet, Julia Petit. A empresa, que não esconde ser nativa digital, tem as redes sociais como principal ferramenta de pesquisa pra entender os desejos do seu público-alvo e, a partir disso, formular produtos que sejam exatamente aquilo que ele procura. Daí vem todo o acerto da Sallve ao apostar no lançamento de um carro-chefe, o tão comentado Antioxidante Hidratante que se gaba de ter mil e um benefícios, atraindo todos os holofotes e olhares internet a fora.

Inclusive o daquela que vos escreve. Já faz uns bons três anos que eu venho gostando de incluir um produto a mais na minha rotina de skincare entre os passos de lavar e aplicar hidratante. Primeiro eu comecei pela Vitamina C da Payot (comprei duas vezes), bem baratinha, mas que melhorou horrores a minha pele, e depois fui pro Minéral 89 da Vichy, outra vibe de produto, menos oleosinho, mas que também amei usar. Foi quando esse último acabou que eu fiquei sabendo que a Sallve tava pra lançar o tal do Antioxidante Hidratante, depois de meses e meses de mistério.

Não vou mentir, fiquei com o pé atrás, afinal é uma marca nova, nada se tinha falado sobre o produto ainda e eu não sou muito daquelas que dá tiro no escuro só pra seguir a modinha. O fato de ser um cosmético (e não um dermocosmético, que tem muito mais estudo e tecnologia por trás) também me incomodava um pouco, mas como eu usei por muito tempo a Vitamina C da Payot e adorava, não era exatamente uma desculpa pra mim.

Foi aí que eu vi uma entrevista da Julia para o canal da Jana Bonita de Pele em que ela dizia mais ou menos o seguinte: “Se não fosse pra lançar no mercado alguma coisa inédita e que realmente funcionasse, eu nem lançaria”. E foi nesse momento que eu me convenci a dar uma chance ao dito cujo.

Eis que fui lá, comprei o produto logo no dia do lançamento e, nesse post, vou contar como foi a minha experiência usando ele diariamente por um mês. Já deixo avisado que o post deve ficar um pouco longo, mas, já que a minha intenção aqui é falar absolutamente tudo o que eu achei do produto, não tem como não me aprofundar pra dizer se ele vale a pena ou não comparado a alguns similares que já usei e que fazem o mesmo trabalho.

P.S.1: As minhas impressões são totalmente baseadas na minha experiência, não sou dermatologista nem expert no assunto. Se você tem questões de pele que precisam de mais atenção, é sempre bom consultar um profissional antes de usar qualquer coisa.

P.S.2: Sempre bom lembrar que tenho pele oleosa, característica que se acentua no calor. Atualmente tenho acne hormonal por conta de ovários policísticos, mas devido ao tratamento fico com a pele ressecada bem facilmente.

Dito tudo isso, vamos à resenha!

Sobre o produto e o que ele promete

De acordo com o site da Sallve, o Antioxidante Hidratante é um produto hipoalergênico, testado dermatologicamente e oftalmologicamente, não testado em animais e livre de ingredientes proibidões. A marca sugere que ele seja usado em todo o rosto, pescoço, colo e área dos olhos e, segundo ela, três ou quatro gotinhas de produto são suficientes pra preencher toda essa área.

Ele tem 35g, um tamanho que eu achei muito legal, e custa R$ 89,90, o faz com que ele tenha um ótimo custo-benefício. Logo na pré-venda, eu vi muitas pessoas no Insta da Sallve perguntando quanto tempo de uso rende uma bisnaguinha dessas e eles falaram que durava mais ou menos um mês. Achei a resposta meio ilógica levando em consideração a quantidade de produto que eles recomendam que seja aplicado e a quantidade que vem na embalagem. Já usei muitos produtos com embalagem de 30g e, aplicando até mais do que eles recomendam, eles duram fácil 3 meses se você usa uma vez por dia. Eu venho usando só pela manhã e não chegou nem a ficar pela metade ainda.

Sobre os ingredientes do Antioxidante Hidratante, a Sallve diz:

Um produto que é muitos. Antioxida enquanto hidrata. É sérum e gel. Cuida da área dos olhos e do rosto todo. Sua fórmula única combina o Ácido Hialurônico a 5 antioxidantes preciosos: Nano Vitamina C a 10%Vitamina E, Resveratrol, Cafeína e Niacinamida. E, graças à nanotecnologia, os principais ingredientes estão revestidos e prontos pra entregar seu melhor, agindo no lugar certinho da pele da forma mais segura. Ele hidrata controlando a oleosidade, minimiza poros dilatados, previne linhas finas e sinais do tempo, uniformiza o tom e recarrega as baterias da pele, devolvendo a luminosidade natural e suavizando o inchaço matinal e as olheiras de cansaço. Pode usar todos os dias, pela manhã e à noite.

Como você pode ver, o Antioxidante Hidratante não nega prometer deus-e-o-mundo né? Achei a composição muito boa, levando em consideração o pouco que eu entendo. A Nano Vitamina C a 10% chama a atenção pela porcentagem e também por ser encapsulada, uma forma de armazenamento que faz com que ela penetre mais fundo as camadas da pele e impede que ela oxide mais rapidamente. O Ácido Hialurônico é um componente que tá muito em alta ultimamente e, pelo tempo em que eu usei o Minéral 89 (que é composto principalmente por esse ácido) notei bastante diferença na minha pele.

A Vitamina E e Cafeína terminam sendo ótimos bônus, também o Resveratrol e a Niacinamida, que sempre estão presentes nos cremes manipulados que a minha dermato receita. E se a minha dermato receita esses componentes, eu confio de olhos fechados.

Sobre a embalagem

Antes de tudo eu preciso de algumas linhas para declarar meu amor absoluto por essa embalagem. Amei o formato em bisnaguinha, super tranquila de transportar e ainda mais legal pra aplicar o produto. É um modelo extremamente prático de usar, sem falar que é uma gracinha.

Estética do produto à parte, achei muito legal que a embalagem do Antioxidante Hidratante tem os selos I’m Green (que quer dizer que a embalagem foi feita com Polietileno Verde) e Eu Reciclo, que é um programa de logística reversa em que a empresa se compromete a reciclar uma porcentagem das embalagens que produz.

É interessante notar que, alguns anos atrás, a maioria das pessoas nem iria questionar o posicionamento da empresa sobre causas ambientais, reciclagem de embalagens e logística reversa. A Sallve, como boa nativa digital, sabe que seu público não é mais alheio a esse tipo de discussão e fez questão de ter a resposta pronta na ponta da língua toda vez que surgisse um comentário do tipo “poxa, embalagem de plástico?”. São detalhes que contam (e muito) pra construção da identidade da marca e pra consolidação dela no mercado futuramente.

Sobre textura, aplicação e fragrância

A Julia contou que a textura de sérum foi uma das mais citadas quando a marca procurou saber qual era a preferência do público. Foram muitos testes até que eles chegassem nessa textura sérum-gel que, pra mim, fica no meio do caminho entre um sérum tradicional (como o Minéral 89, pra citar um que eu conheço bem) e um hidratante levinho, pra pele oleosa.

Pessoalmente, essa não é uma textura que eu goste tanto, eu sou bem mais fã de produtos densos e que demorem a ser absorvidos pela pele. O Antioxidante Hidratante é justamente o contrário. Nos dias em que a minha pele tava mais ressecada, ele foi absorvido quase que imediatamente e era até complicado espalhar por todo o rosto, mesmo que eu tivesse usado as “três ou quatro gotinhas” recomendadas pela marca.

Minha forma preferida de aplica-lo foi lavar e secar o rosto com uma toalha e, imediatamente depois, aplicar uma gotinha dele em cada ponto do rosto (bochechas, queixo, nariz e testa) e espalhar bem. Quando o rosto ainda está meio úmido ele desliza mil vezes melhor e dá uma sensação muito gostosa na pele, até um pouco geladinha dependendo do local onde você deixa guardado.

Gostei também que ele é um produto que não tem uma fragrância forte. Ele tem um cheiro que não consegui definir e que some da pele poucos segundos depois de aplicado.

Sobre os resultados

Logo depois que você aplica o Antioxidante Hidratante, fica uma sensação meio “colentinha” na pele por conta do Ácido Hialurônico, mas nada que incomode. A impressão que dá é que você não passou nada, mas (como eu tentei mostrar na foto acima) dá pra notar um leve viço de hidratação. Ao contrário do que a marca fala, não achei que ele minimiza os poros; notei que os poros (principalmente os que tenho perto do nariz, que são mais dilatados) ficam levemente menos visíveis, mas isso acontecia nos períodos em que minha alimentação estava boa, o que é uma coisa que muda a pele, inevitavelmente.

Já o controle da oleosidade é uma coisa que dá pra notar logo de primeira; por uns dois ou três dias em que eu não precisei sair, testei lavar o rosto e só aplicar ele em seguida, sem protetor solar, e o efeito foi bem legal, deu pra ver que ele deixa a pele bonita, viçosa, mas com a oleosidade controlada.

Quanto à prevenção de linhas finas e sinais do tempo, só o uso continuo por muitos anos que pode dizer. O fato é que prevenção é fundamental e substâncias como a Vitamina C, por exemplo, são muito boas nesse aspecto, sem falar que ajuda, e muito, na hidratação e uniformização da pele.

Para ser sincera, não notei melhora na aparência de manchinhas por enquanto (tenho várias por conta de acne hormonal), mas talvez mais um ou dois meses de uso possam ajudar.

Também não notei aparecimento de espinhas como algumas pessoas relataram, todas as que tive nesse período de uso apareceram em áreas com tendência à acne hormonal e tenho certeza que não foi por causa do produto.

O veredito

No fim das contas, eu gostei muito do Antioxidante Hidratante, o resultado na minha pele foi muito bom. Mesmo que eu acredite que os maiores resultados eu vou ver a longo prazo, acho que as primeiras impressões dele são bem positivas, dá pra sentir a pele mais macia e iluminada logo na primeira semana de uso, principalmente na área dos olhos. Ele é leve, gostosinho de passar e some na pele depois de um segundos.

Se você tem pele oleosa, não quer perder tempo com skincare, quer só usar algo que suma logo na pele pra depois vir com a maquiagem, o Antioxidante Hidratante é pra você. Se você também é tipo bem prático que não tem paciência de usar mil produtos na cara, mas que quer ter certeza de estar usando algo que tenha uma boa composição sem gastar rios de dinheiro, ele também pode ser um ótimo aliado.

Pessoalmente, não acho que ele seja um produto pra ser usado sozinho. Ele quebra um galho enorme nos dias em que eu não tenho paciência de usar nada no rosto, mas pra eu ter o resultado de hidratação que eu gosto, preciso aplicar um hidratante um pouco mais consistente depois. Isso porque, na minha rotina, ele não substitui um hidratante mais grossinho, mas sim funciona como um extra, não por não ser eficiente, mas porque eu gosto de usar um produto que deslize mais na pele, que dê essa sensação visual de pele brilhosa e hidratada.

Claro que isso é uma opinião 100% pessoal. Ele hidrata sim, mas, como todo sérum mais fininho não dá aquela impressão visual de pele hidratada, com glow absurdo. Produtos mais “oleosos” num geral dão essa impressão, sérum mais aquosos fazem o trabalho de dentro pra fora e logo somem da pele.

Sabendo disso, é legal você entender o que você quer pra sua rotina de skincare. Eu realmente acredito que o Antioxidante Hidratante pode substituir o hidratante de alguém que não gosta de passar muitos produtos, porém também acho ele é perfeito pra vir antes de um produto mais consistente que hidrate “visualmente” mais.

Mas independente disso, quero dizer que ele é uma opção muito válida. Não chega a ser um dermocosmético como o Minéral 89 da Vichy, mas também ganha de lavada em composição e tecnologia da Vitamina C da Payot, por exemplo. Eu super compraria de novo e garanto que, se comprar mesmo, eu volto aqui pra falar minhas impressões a longo prazo do produto.

Então é isso! Espero que a resenha tenha sido útil e ajude de alguma forma você que tá aí curioso imaginando se investe ou não investe no tão famoso sérum da Sallve. Me conta nos comentários se você já testou ou gostaria de testar esse produto. Até a próxima!

Post randômico: diário em fotos

Ontem passei o dia escrevendo um post sobre coragem que, no fim das contas, achei que não era pra ser publicado agora, mas acho até o fim da semana ele deve estar por aqui no blog. Ao invés disso, pensei em fazer um breve diário com algumas fotos que me marcaram nesses últimos meses para contar algumas coisas que estão acontecendo na minha vida, alguns itens favoritos, detalhes e observações do dia a dia. Foi algo totalmente fora do planejamento, mas talvez o resultado fique legal e eu faça mais posts desse jeito por aqui. Enfim, vamos ver no que dá.

 

23/07/18

A primeira foto que eu queria mostrar é essa que foi tirada no dia da minha formatura em Jornalismo, lá em julho (e parece que já faz uma eternidade!). Eu, Rafa e Duda completamos dez anos de amizade agora em 2018 e talvez essa seja a foto que eu mais amei nesse tempo todo em que estamos juntas. Ela, inclusive, é muito parecida com uma foto que a gente tirou no meu aniversário de 15 anos, mas, por ter ficado simplesmente horrível eu desisti de colocar um antes/depois.

Ela tá aparecendo aqui, porque eu não consigo deixar de sorrir quando a vejo, não só pela felicidade imensa que eu tava sentindo por concluir a faculdade, mas também por lembrar o quão especial é a nossa amizade, quantas coisas a gente passou juntas até chegarmos aqui hoje, no quanto a gente sonhou em como seria esse dia e, finalmente, em como foi vivê-lo juntas. Foi muito muito especial.

04/08/18

Nesse dia, eu, Bruna e Douglas estávamos em Maragogi-Al, e descemos bem cedinho na praia pra ver o nascer do sol. Douglas testou vários dos suas habilidades como fotógrafo quando eu fui molhar os pés na água gelada e eu acabei gostando muito dessa foto.

Talvez você que me conhece ou que acompanha o blog há algum tempo já saiba da minha relação especial com essa hora do dia. Eu me sinto energizada pelo sol nascendo, pelas cores, pela luz, pela sensação. E apesar da minha cara de sono na imagem, eu gosto desse sentimento todo que essa foto transmite pra mim, de calmaria e fé no dia que tá nascendo.

Processed with VSCO with  preset
11/08/18

Ainda em agosto e ainda em Maragogi, eu e meu irmão saímos para andar de caiaque quando a maré estava baixinha e tranquila. No fim, esse terminou sendo um dos momentos mais divertidos do nosso fim de semana.

Eu nunca tinha feito isso antes e adorei! Você acha que não tem jeito de se molhar dentro de um desses, mas eu saí de lá ensopada, o que por um lado foi bom, porque o sol tava bem quente e remar cansa bastante. Depois de meia hora, a melhor parte foi cair na água.

Essas duas fotos saem um pouco do padrão aqui do post, mas estão aqui pra representar dois hábitos legais que eu venho incorporando no meu dia a dia: o de cuidar da minha pele e de comer coisas que me façam bem.

Cuidar da pele já é algo que eu tenho como hábito há algum tempo e não abro mão. Já contei nesse post aqui alguns dos cuidados que eu tenho com a minha pele, mas pretendo (bem em breve) escrever um mais extenso sobre as mudanças que têm ocorrido com ela, como o anticoncepcional interferiu nela, os produtos que eu amo usar etc. Essas máscaras eu comprei em setembro numa ida ao shopping e acabei adorando, sobretudo essa da Ricca que é tipo um gelzinho (vou falar mais sobre ela no post que mencionei aí em cima). Pra quem costumava usar só máscara de argila feita em casa foi bem legal experimentar algumas coisinhas novas e que, acreditem ou não, sempre deixam meu dia mais alegre. Mesmo que seja uma máscara facial.

Sobre esse monte de folhas aí do lado, elas fazem parte dos maravilhosos componentes do meu suco verde, que nada mais é que uma maçaroca de frutas, vegetais, legumes e sementes que ajudam meu organismo a repor várias coisas que eu não como normalmente. Eu sempre fui a menina mais fresca da vida pra comer coisas saudáveis, o que não é algo que me orgulha e que, aos pouquinhos, tô conseguindo mudar.

Minha mãe tem me ajudado bastante com isso, na verdade. Foi ideia dela a de congelar as folhas pro suco pra que eu não ficasse com preguiça de fazer no dia a dia. É só ir no congelador, pegar um dos saquinhos, jogar no liquidificador com o resto das coisas e beber. Não vou mentir, é bem chato congelar tudo, mas fica muito mais fácil no final das contas e tem ajudado demais na minha disposição, saúde e até na minha pele. Faz meses que eu não pego um resfriado, algo impossível de se imaginar um tempo atrás.

Aí num dia em setembro em tava vasculhando uns álbuns antigos e encontrei essa foto minha lá na Praça do Entroncamento, na época em que faziam um parquinho de diversões perto do Natal. Essa sempre foi umas das minhas fotos preferidas de quando eu tinha uns 5, 6 anos: eu tinha uma cara de bolacha, com cabelo no ombro e franjinha (uma relação de amor e ódio eterna) e ainda uma calça com a barra bem larga caindo por cima das minhas plataformas da Xuxa.

Era um look 100% a minha cara naquela época, e achei engraçado comparar com uma foto super recente e ver como os tempos mudam e como minha relação com a moda também (pretendo falar sobre isso num post mais pra frente). Não sei exatamente em qual momento eu comecei a me interessar pelo assunto, mas depois de várias experimentações, acredito que hoje me encontrei num estilo em que me sinto bem à vontade e que vou pontuando com novas peças quando vejo necessidade. Esse look mesmo aí da foto é tão eu que dá lágrimas nos olhos.

A Crystal de hoje em dia definitivamente não se vê mais usando plataformas ou esse estilo de jeans ou até o cabelo nesse corte, mas acho lindas as fases que eu passei pra chegar em quem eu sou hoje. E eu era muito fofa, né não?

Processed with VSCO with  preset
23/09/18

Essa aí eu tirei um tempinho depois, quando eu fui pela primeira vez no Paço do Frevo, no Recife Antigo, durante um passeio com uma prima do Rio de Janeiro. Eu acho a coisa mais linda do mundo essa arquitetura do centro da cidade, que me transporta no tempo pra tantas décadas e séculos passados e me enche de orgulho de morar numa cidade com tanta história pra contar.

É uma pena o descaso que o governo tem com a conservação e manutenção dessas casas, mas não deixo de achar lindo esse contraste do verde nascendo onde “não deveria”. O centro do Recife tem essa particularidade de guardar beleza bem mais alto do que a que a gente vê na altura dos olhos.

Processed with VSCO with  preset
26/09/18

Essa talvez seja a foto mais aleatória do post, mas adoro olhar pra ela. A manta e os lençóis branquinhos da minha cama fazem parte da lista de coisas que mais amo nessa vida e não tem nada mais maravilhoso que passar um domingo bem longo aconchegada com um livro maravilhoso ou finalmente dormir nela depois de um dia daqueles.

O detalhe é que o colchão fica apoiado numa plataforma de pallets, até apoiei algumas garrafas de vinho bonitas na tentativa de uma decoração original. Espero, em algum momento desse blog, falar um pouco sobre como foi a experiência de montar e decorar uma cama nesse estilo, mas isso vai ficar um pouco pra depois.

Processed with VSCO with  preset
05/11/18

Por fim, uma foto de ontem mesmo.

Eu adicionei esse caixote na decoração do closet bem recentemente e achei uma gracinha o jeito que ele compôs com o resto do ambiente. Aliás, nem é muito difícil, já que quase tudo no meu quarto agora é feito dessa madeira clarinha. Assim como rolou com a cama, a ideia de fazer um closet também foi intuitiva e aconteceu bem por acaso. E hoje tenho um orgulho danado desse espaço tão lindo que eu tenho aqui (devo incluir todo o processo de criação do closet no post da cama de pallets também).

 

Então é isso!

Talvez o post não tenha ficado exatamente do jeito que eu planejei, porque no meio dele eu comecei a ter uma crise de dor no maxilar por conta da minha recente falta de sisos e isso desviou bastante da minha concentração. Mas eu vou ajustando esse modelo com o tempo.